domingo, 30 de julho de 2017

Ferramentas da internet

Ferramentas da internet

Existem vários gerenciadores de projetos online
gratuitos na internet. Os melhores têm estas
funcionalidades:
■■ cadastro de usuários com níveis de permissão
diferentes;
■■ cadastro de diversos projetos;
■■ acompanhamento de tarefas;
■■ possibilidade de anexar arquivos de qualquer
formato;
■■ gráfico de Gantt (Visualização gráfica do
cronograma do projeto);
■■ comentários de usuários;
■■ planilha de horas gastas por usuário.
Internet para
pequenos negócios
179

Sobre o Basecamp


loteria liquidificador hand spinner lanterna Se você quer um programa simples e prático para
acompanhar os projetos da sua empresa, o Basecamp
(http://basecamphq.com) pode ajudar, pois é um programa
que preza pela facilidade e efetividade. Warner e Adidas já
utilizaram os serviços, mas a base de clientes é composta
principalmente de pequenas e médias empresas. O software é
pago, mas você pode testar gratuitamente por 30 dias.
Não espere que seja o programa mais completo do mundo,
mas a praticidade de uso acaba sendo um diferencial. Veja
quais as possibilidades que ele oferece:
■■ Lista de tarefas: compartilhe com os colaboradores uma
ordem de trabalhos a serem desenvolvidos, com prazos,
além de delegar algumas funções para os usuários da área
(no caso, os funcionários).

■■ Compartilhamento de arquivos: para evitar o envio de
vários arquivos por e-mail sobre o mesmo assunto, ao
ponto de não saber qual a versão final, compartilhe os
arquivos de forma online e tenha um documento único.
■■ Mensagens: por mais simples que sejam, servem caso
tenha de fazer algum comentário relacionado ao projeto
que está sendo desenvolvido.
■■ Milestones: você pode monitorar os prazos de entrega de
forma alinhada com as tarefas a serem desenvolvidas. É uma
espécie de marco, um sinalizador dos estágios do projeto.
■■ Writeboards: editor de texto simples para permitir a edição
colaborativa de textos

quarta-feira, 26 de julho de 2017

negocio na internet

negocio na internet

e a Regra de Pareto (veja em “Saiba Mais”) já não se
aplica em muitos mercados. Anderson mostra que
a economia tradicional é obrigada a lidar com altos
custos de armazenagem, distribuição e exposição
dos produtos. Por isso, a saída é oferecer produtos
que vendam mais, para o consumo de massa.
Este modelo acabou criando a cultura do “hit”,
ou seja, um modelo de mercado em que é mais
vantajoso vender milhares de CDs de um único
artista, por exemplo, do que vender poucos CDs
de milhares de diferentes artistas. Este modelo,
portanto, dá mais visibilidade para os CDs dos
artistas mais populares, que são “hits”. (Figura 5)
Figura 5 – Na internet a vitrine é infinita
Internet para
pequenos negócios
Mais – Produtos Vendido – Menos
Popularidade
Posição do produto entre os mais vendidos
Hits, produtos mais populares:
o maior espaço da gôndola
Pequenos Nichos:
vitrine sem fim
46
Internet para
pequenos negócios
A “Regra de Pareto”
A Regra de Pareto foi criada no século XIX por
um economista italiano chamado Alfredo Pareto.
Ao analisar a sociedade, concluiu que grande
parte da riqueza se encontrava nas mãos de
um número demasiado reduzido de pessoas. É
também conhecida como dos 20%-80% e significa
que um pequeno número de causas (geralmente
20%) é responsável pela maioria dos problemas
(geralmente 80%).

maquina de cortar batata maquina de batata comprar pc flash active directory Há muito tempo a Regra de Pareto vem sendo
utilizada no mundo dos negócios para definir
prioridades de investimentos. Por exemplo, uma
livraria não pode ter todos os títulos do mercado,
portanto ela aplica a Regra de Pareto e foca em
20% dos títulos que geram 80% da receita.
Fonte: Wikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/
Princ%C3%ADpio_de_Pareto acessado em agosto 2011.
47

A partir da convergência digital e da internet – um
novo modelo de distribuição de conteúdo e oferta de
produtos – cresce um movimento migratório da cultura
do hit para a cultura de nichos. Os nichos de mercado
são formados por públicos muito segmentados em
busca de produtos ou serviços muito específicos.
Por isso, é crescente a visibilidade de milhares de
novos artistas com pouca popularidade que surgem
em qualquer lugar do planeta, conquistam e mantêm
pequenos grupos de fãs (nichos) também em
qualquer lugar do planeta, conforme Figura 6.